• Ricardo Figaro

7 curiosidades sobre Total Recall


No Brasil, ele foi batizado de O Vingador do Futuro. Já em Portugal, Desafio Total. Mas independente de como é chamado pelo mundo, o filme Total Recall (1990) tornou-se um marco da ficção científica nas últimas décadas – seja por seu estilo trash/cult criado sob direção de Paul Verhoeven (RoboCop) ou pela atuação "única" de Arnold Schwarzenegger no papel principal.

Assim, abaixo você confere 7 curiosidades sobre a obra, que vai muito além de viagens a Marte ou seres vivos com três seios:


1. A origem de tudo

Igual a outras obras de sucesso do gênero, o filme foi inspirado no conto Lembramos para você a preço de atacado, de Philip K. Dick (publicado pela Aleph no livro Realidades Adaptadas). Já o roteiro nasceu do trio Ronald Shusett, Dan O'Bannon e Gary Goldman, responsáveis pelo texto de filmes icônicos, como Alien, Os Aventureiros do Bairro Proibido e Impostor).

2. Em que ano estamos?

Embora a trama seja ambientada em 2084, esta data não é mencionada em nenhum trecho do longa. Ela aparece apenas na capa do VHS (por motivos desconhecidos), sendo depois confirmada pelo próprio diretor. Verhoeven queria que o filme se passasse em um futuro muito distante, para não ser comparado com possíveis tecnologias que já surgiriam nos anos 2000.

3. Eu escolho você!

Antes de Schwarzenegger conseguir o papel de Douglas Quaid, dois nomes corriam na frente: Richard Dreyfuss (Contatos Imediatos de Terceiro Grau) e Patrick Swayze (Ghost). O ator só conseguiu o trabalho quando convenceu a produtora Carolco Pictures a comprar os direitos do filme, vendidos pela produtora original que abriu falência meses antes. Hasta la vista, baby...

4. A Exterminadora

Foi neste filme que Verhoeven convidou Sharon Stone para estrelar o filme Instinto Selvagem, obra que catapultaria a carreira da atriz. Além disso, Stone recebeu o prêmio de membro honorária da Associação de Dublês Femininas, tamanha a sua dedicação nas cenas de ação como Lori, esposa de Quaid. Inclusive, o próprio Schwarzenegger a apelidou de "exterminadora".

5. Efeitos raíz

Enquanto os filmes de hoje explodem na tela efeitos especiais produzidos por computadores de última geração (Vingadores, aquele abraço), Total Recall foi uma das últimas produções de Hollywood a usar efeitos em miniatura em larga escala. Por outro lado, também foi um dos primeiros blockbusters a utilizar efeitos de CGI (como a cena em que Quaid é escaneado por um raio-x).

6. Vitória garantida

Após meses de filmagens no México, uma crise de intoxicação alimentar que atingiu grande parte da equipe (incluindo o diretor, Paul Verhoeven) e um acidente envolvendo Schwarzenegger (ele se cortou gravemente ao socar uma parede de vidro), o filme foi indicado para o Oscar de Melhor Som e Melhor Efeitos Especiais – levando este último ao ser o único presente na categoria.

7. Uma sequência? Acho que não...

Antes do péssimo remake do filme em 2012, pensou-se uma sequência para a obra original, inspirada (acredite!) no conto O relatório minoritário, texto de Dick que anos mais tarde daria vida ao longa Minority Report – A Nova Lei, com Tom Cruise (também presente no livro Realidades Adaptadas). No fim, a produção não vingou e o roteiro foi alterado para o filme de Spielberg.

E aí, curtiu? Mas ante de irmos embora, temos mais uma curiosidade. E ela com certeza vai agradar a sua coleção sci-fi. Afinal, você conhece o programa Total Recall da Aleph?

“Aleph, curti muito o livro que você está lançando, mas não sei se vou comprar porque já tenho uma outra versão dele.” Se você está nesta situação, fica tranquilo porque com o programa Total Recall a gente te ajuda.

Nele, você envia a sua edição antiga, publicada pela nave-mãe ou por qualquer outra editora, e te mandamos uma edição nova do mesmo título, publicado pela Aleph, e você só paga metade do preço. Isso mesmo: 50% de desconto! Ah, e todos os livros recebidos são doados para bibliotecas comunitárias.

> Tenho um livro em português publicado por outra editora, mas a Aleph lançou uma nova edição muito mais legal.

Posso trocar? SIM! > Tenho uma edição de um livro lançado pela própria Aleph, mas, poxa, a Aleph mudou a capa, e eu quero essa com a capa nova.

Posso trocar? SIM! > Comprei um livro de vocês, mas a própria Aleph lançou uma edição revisada. Quero trocar pela nova edição.

Posso? SIM! > Eu tenho um livro velho da Aleph, que eu não gostei, e quero trocar por outro título para ver se eu gosto.

Posso? NÃO!

A promoção só é válida para novas edições do mesmo título. > Tenho um livro velho que a Aleph lançou no passado, mas outra editora lançou uma edição nova. Posso trocar? NÃO!

Fica com a nossa edição! > Tenho uma edição em inglês, e quero trocar pela edição da Aleph deste mesmo título.

Posso? SIM!

#2019 #EditoraAleph #Filmes

© 2020 Shock Rádio Web