• Ricardo Figaro

7 Curiosidades sobre 2001: Uma Odisseia no Espaço


A jornada para tornar o projeto 2001: Uma Odisseia no Espaço – Edição histórica de 50 anos uma realidade continua a todo vapor. Então contamos aqui 7 curiosidades sobre o filme 2001 que exploram os bastidores do universo criado por Arthur C. Clarke e Stanley Kubrick. Afinal, o monólito alienígena não foi o único mistério que ganhou forma na cultura pop há 50 anos.

1 – Nome imortalizado

A inspiração para o título do filme, hoje reconhecido nos quatro cantos do mundo, veio de Odisseia, poema épico atribuído a Homero que narra a jornada de Odisseu em sua volta para casa após a Guerra de Troia. Segundo Kubrick, enquanto os gregos do passado lidavam com os mistérios do mar, sua geração dava o mesmo sentido para os elementos desconhecidos do espaço.

2 – Teoria da conspiração

Você sabia que 2001: Uma Odisseia no Espaço foi o último filme que encenou homens na Lua antes da chegada de Neil Armstrong e Buzz Aldrin ao nosso satélite natural, em 16 de julho de 1969? Para completar, há teóricos da conspiração que não acreditam que isso seja coincidência. Para eles, a chegada do homem à Lua foi apenas uma encenação dirigida por Kubrick que, inclusive, reaproveitou trechos do seu próprio filme para construir a “farsa” espacial.

3 – Kubrick e a descoberta de vida extraterrestre

Embora seja blasfêmia falarmos isso, até hoje o homem não fez contato com vida inteligente extraterrestre (uhum, sabemos). Porém, às vésperas do lançamento de 2001 nos cinemas em 1968, Stanley Kubrick tinha receio de que uma possível descoberta de vida fora da Terra ofuscasse sua obra (muito pautada nos mistérios do espaço). Assim, o cineasta tentou fazer, sem sucesso, uma apólice de seguros que o protegia contra possíveis prejuízos da obra gerados por esse cenário.

4 – Números estelares

Entre os números do filme, dois se destacam: primeiro, de acordo com o produtor Douglas Trumbull (da equipe de efeitos especiais), o conteúdo bruto das filmagens rendeu um material 200 vezes maior que o corte final do filme. Já em relação à narrativa, o primeiro diálogo em cena ocorre aos 25 minutos e 38 segundos, e a ausência absoluta de fala também se destaca nos 23 minutos finais da trama (desconsiderando os créditos). Isso resultou, ao lado de segmentos mais curtos, num filme com 88 minutos sem diálogos.

5 – O enigma HAL 9000

Talvez após “Desculpe, Dave. Receio que não posso fazer isso”, a frase mais citada pelos fãs de HAL seja “Bom dia, Dave”. Porém, essa fala não é dita pela máquina em nenhum trecho do filme. Já no universo conspiratório, muitos acreditam que o nome da inteligência artificial seja uma referência à IBM. O motivo? No alfabeto, quais letras vêm depois de H, A e L, respectivamente?

6 – Filme cabeça?

Embora extremamente cultuado hoje, o filme não agradou ao público no dia da estreia. O motivo? “Alguém pode me dizer que diabos é isso?”, gritou o ator Rock Hudson ao se levantar no meio da sessão, igual a centenas de convidados presentes. Mesmo assim, Arthur C. Clarke explicou que o maior objetivo do filme era trazer perguntas, e não respostas. Por outro lado, o escritor também reconheceu a complexidade de alguns arcos do filme, levando-o a construir com maiores detalhes (ou explicações) a trama adaptada para o seu livro.

7 – Um convite ao pai dos mangás

Durante a produção do longa, Kubrick queria que Osamu Tezuka, considerado o pai dos mangás e criador de famosos personagens da cultura oriental (como Astro Boy), assumisse parte da direção de arte. Porém, o convite foi recusado pelo mangaká em razão da dificuldade de se deslocar do Japão até os centros de filmagem. O interessante é que após assistir ao filme, Tezuka confessou ao diretor o seu amor pela obra, revelando que gostava de ouvir sua trilha sonora enquanto trabalhava.

E se você ainda não apoiou a campanha da nave-mãe no Catarse, conheça mais detalhes sobre o nosso 2001: Uma Odisseia no Espaço – Edição histórica de 50 anos aqui na página e venha fazer história com a gente!

Curtiu?.... Nos encontramos em algum lugar entre as estrelas!

#2018 #EditoraAleph #Livro #Catarse

© 2020 Shock Rádio Web