• Ricardo Figaro

Cubo Itaú inaugura novo endereço


Conectar os principais agentes para fomentar o ecossistema de empreendedorismo tecnológico provou ser a verdadeira proposta de valor do Cubo Itaú. Uma das primeiras iniciativas nacionais a se aproximar desse universo, o hub comemora três anos com a inauguração de um novo e maior espaço, com 14 andares e área total de mais de 20 mil m² na região da Vila Olímpia, zona sul de São Paulo (SP). O local passa a receber mais de duas mil pessoas diariamente para gerar negócios com as mais de 250 startups em seu portfólio. Esse feito inclui o Brasil no grupo dos mais relevantes centros mundiais de estímulo ao empreendedorismo.

Fundado em setembro de 2015 pelo Itaú Unibanco e pela Redpoint eventures, o Cubo Itaú atinge uma nova fase ao fortalecer suas estruturas, comparáveis às de outras jornadas internacionais de fomento à inovação. “Fomos muito bem-sucedidos na iniciativa, idealizada para ser o Vale do Silício do Brasil. O Cubo Itaú se transformou em referência ao redor do mundo em seus modelos de conexão e densidade”, afirma Ricardo Guerra, diretor-executivo do Itaú Unibanco.

Uma das novidades do Cubo é a criação de cinco verticais, todas identificadas como vocações de mercado, que passam a sustentar o estágio atual da instituição: Cubo Health, Cubo Retail, Cubo Education, Cubo Fintech e Cubo Industry.

“Esse é um dos resultados desses três anos de aprendizado. As cinco verticais representam novos desafios que, como toda startup, serão encarados como testes feitos ao lado de empresas mantenedoras consolidadas nessas áreas, que serão grandes parceiras”, explica Lineu Andrade, diretor do Itaú Unibanco, responsável pelo Cubo Itaú. O executivo ainda reforça que todos os segmentos são bem-vindos, mas o rigor na seleção será maior para atrair as melhores e mais maduras startups: “Queremos mais diversidade e experiência para promover uma troca de alto nível no ecossistema”.

Segundo Flavio Pripas, diretor do Cubo, a vocação do hub foi atingida muito rapidamente, e o objetivo agora é gerar mais oportunidades de negócio e mais valor no mercado. “Potencializamos o desenvolvimento das startups do mercado e ajudamos as empresas parceiras a alcançarem a agilidade necessária para continuar evoluindo por meio da transformação digital. Demonstramos ao mercado o que significa abrir as portas para novas formas de trabalhar e o que é inovação na prática”, diz Pripas.

“O projeto do Cubo foi ambicioso desde a concepção e, nos últimos três anos, o ecossistema evoluiu mais do que na década anterior. Ser o hub de serendipidade, criando conexões, era o que o ambiente precisava. O pioneirismo catalisou esforços similares de ícones de outros segmentos, como saúde e educação, e esse grupo de empresas vai gerar ondas de muito impacto daqui para frente. Agora, vamos fazer outras duas ou três décadas nos próximos três anos”, comemora Anderson Thees, sócio da Redpoint.

Programas

Além dos nove programas já oferecidos pelo Cubo, um novo leque de provocações sobre temas pertinentes de mercado será explorado: Programa Mantenedores, Programa Embaixadores, Encontro Alumni e Férias no Cubo. Com proposta de aquecer discussões entre parceiros, residentes, startups alumni e sociedade, os novos projetos aumentam a atuação do hub com o objetivo de gerar mais ideias e compartilhamento de experiências.

Mantenedores

O novo Cubo reúne parceiros que contribuem para o desenvolvimento e aumentam as chances de troca entre as startups e grandes empresas. Nessa seleta lista estão: Dasa, Kroton, brMalls, Rede, Accenture, Schneider, Sapore, Cisco, CI&T, AWS, TIM, Saint-Gobain, B3, Coca-Cola Brasil, Groupe PSA, iugu, GitHub e Salesforce.

#2018 #itau #Tecnologia

4 visualizações
© 2020 Shock Rádio Web